Passagem da Tocha Olímpica em Santa Maria

Consagração do espírito competitivo presente na humanidade, os Jogos Olímpicos da Era Moderna celebram a união entre os povos. E a chama desse momento único, simbolizada pela Tocha Olímpica em Santa Maria, vai fazer história na próxima terça-feira, 5 de julho, exatamente um mês antes do início dos jogos no Rio de Janeiro.

Tocha Olímpica em Santa Maria

De acordo com a Prefeitura, o percurso do símbolo maior das Olimpíadas por terras santa-marienses começa na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), às 16h50, e segue pela RSC-509, a Faixa Velha, até a Avenida Dores, passando por pontos importantes da cidade, como o monumento “O Idealista”, o Santuário de Schoenstatt, o 1° Regimento de Polícia Montada “Regimento Coronel Pillar” (1º RPMon), o Hospital da Brigada Militar e o Royal Plaza Shopping.

Depois, a Tocha Olímpica segue pelo mesmo trajeto, já como Avenida Medianeira, onde estão a Basílica Medianeira e a rótula do monumento “O Gaúcho”, onde o símbolo olímpico faz o caminho de em direção ao Centro de Santa Maria.

No trajeto de volta à região central da cidade, o percurso passa pela Biblioteca Municipal, pelo Colégio Cilon Rosa e por marcos municipais como o Centro Integrado de Cultura Evandro Behr, no Largo da Locomotiva (Avenida Presidente Vargas com a Rua Appel). Atravessa então várias vias centrais e sobe até a Avenida Rio Branco, passando pela Catedral da Imaculada Conceição, rumo à Gare da Estação, onde encerra o percurso, programado para 19h30.

Para celebrar a passagem da Tocha Olímpica em Santa Maria, uma das seis cidades gaúchas onde o símbolo olímpico irá pernoitar, foram programadas atrações musicais e culturais na Gare. A programação ainda não foi divulgada pela prefeitura santa-mariense.

Honra de conduzir a Tocha Olímpica em Santa Maria

A tradição de conduzir a Chama Olímpica pelo mundo a partir de Olímpia, na Grécia, até chegar ao país da cidade-sede começou nos Jogos Olímpicos de Berlim, em 1936. Desde então, se tornou um momento extremamente popular e indispensável ao evento, reunindo esportistas, políticos, pessoas proeminentes e crianças que se revezam ao levar a Tocha.

Em Santa Maria, serão 61 condutores, que revezarão a cada 200 metros. Entre os privilegiados estão o árbitro de futebol Anderson Daronco, o para-atleta Denílson Souza, a professora Pavani, treinadora da judoca olímpica Maria Portela, o canoísta Gilvan Ribeiro, o fisiculturista Ezequiel Costa Real e o professor de educação física João Carlos Cechella, primeiro transplantado de coração no Rio Grande do Sul.